Breve resumo sobre espondilite anquilosante

A espondilite anquilosante faz parte de um grande grupo de patologias as Espondiloartropatias soronegativas (entesopatias),  que cursam com fator reumatoide negativo e comprometem as enteses (inserção de tendão/ligamentos/capsula no osso).

Quais patologias fazem parte desse grupo?

Espondilite anquilosante (protótipo)
Artrite reativa (Reiter)
Artrite psoriásica
Antrite enteropática (crohn, RCU, celíaca, whipple)

Características comuns?

Acometimento das enteses (tendões, ligamentos...)
Acometimento das articulações AXIAIS (principalmente sacroilíacas e coluna vertebral)
Pode haver acometimento de articulações PERIFÉRICAS
Associação com HLAB27; FR NEGATIVO
Paciente são jovens (<40 anos)

Espondilite anquilosante

Doença axial ascendente e calcificante (sacroileíte bilateralmente + coluna vertebral), acomete predominantemente o sexo masculino, idade média de acometimento de 23 anos, nos EUA somente 5% acima dos 40 anos!

Quadro clinico:

Inicio de desconforto lombar em indivíduos com menos de 40 anos, piora com o decorrer da noite, acordando com dor na segunda metade da noite, piora no repouso, melhora com o movimento. Persistência da dor por mais 3 meses; Rigidez matinal e Alívio com os exercícios.

Outros achados: articulações do quadril e ombro (articulações de raiz) - 25 a 35% dos casos, articulações periféricas acometidas em 30% dos casos (sinovite e entesite), articulações costoesternais e do manúbrio esternal: restrição respiratória, entesite do calcâneo.
HLA-B27 + em 80-90% dos casos!!!



Os sindesmófitos, achado no qual demonstra a evolução da calcificação ascendente da entesopatia na coluna vertebral, mais especificamente entre vertebras onde existe a fusão da coluna, e a evolução dos sindesmófitos forma o que chamamos de coluna em Bambu. A coluna em Bambu provoca: perda da mobilidade da coluna, perde a lordose fisiológica e causa um sinfose na coluna torácica. O individuo olha para baixo, flete os joelhos e anda em passos curtos.



Podemos encontrar ainda o esporão do calcâneo, que surge com o acometimento da fácia plantar.



Teste de Patrick: primeiro posiciona o paciente em decubito dorsal em uma maca rígida, com uma perna fletida e com o pé em cima da perna do mmi contralateral e o maleolo lateral em contado com o mmii que se mantem reto (formando um 4), o examinador coloca uma mão na espinha iliaca antero-superior e a outra no joelho do paciente fazendo uma pressão na perna fletida para baixo. Com isso podemos analisar o SINAL DE PATRICK (faber), sendo positivo podemos ter dor na verilha, região inginal, que demonstra acometimento da articulação do quadril do lado da perna fletida e se dor do lado da perna reta temos acometimento da articulação sacroiliaca (ex fletimos a perna direita e mantemos a esquerda reta, formamos um 4 com a perna direita, colocando o maleolo lateral logo abaixo do joelho, fazemos pressão no joelho direito com a outra mão segurando a espinha iliaca antero-superior, e se o paciente tiver uma dor inguinal podemos concluir que ele tem acomentimento na articulação do quadril direito, se tiver dor do lado esquerdo podemos concluir que tem acomentimento na articulação sacroiliaca esquerda)

Teste de SCHOBER, o examinador marca uma linha na junção lombo-sacral e uma outra linha 10 cm a cima e pede para o paciente com as pernas juntas, joelhos juntos e pés juntos para ele fletir a coluna, em pacientes sem espondilite anquilosante temos um aumento maior ou igual 15 cm, sendo o teste negativo.





MANIFESTAÇÕES EXTRA-ARTICULARES:

Uveite anterior aguda (40%): atinge corpo cilicar e íris e é recorrente, apresenta-se unilateral com  fotofobia, dor ocular, lacrimejamento e hiperemia.


Insuficiência aórtica (10%): Alteração tardia, que promove a regurgitação aórtica e leva a IC

Fibrose pulmonar dos lobos superiores, importância: formação de grandes cistos que pode ser colonizado e causar grandes infecções.

DIAGNÓSTICO:

Todos pacientes com dor lombar maior ou igual a 3 meses e idade menor de 45 anos, devemos pesquisar espondilite anquilosante.  

São dois critérios: primeiro critério leva em conta uma alteração de imagem no RX ou RM (alterações mais precoces) + 1 dos 9 criterios sitados abaixo; o outro leva em conta HLA-B27 positivo com duas outras alterações abaixo citados.

HLA-B27 +; lombalgia inflamatória crônica, entesite (calcâneo); uveíte anterior; boa resposta aos AINEs; PTN C elevada; história familiar de espondilite; dactilite ou psoríase.

TRATAMENTO

INDOMETACINA (75 a 150 mg/dia) OU NIMESULIDA (100 mg/dia)- melhora a dor e retarda a evolução radiológica + FISIOTERAPIA (muscular/vertebral e respiratória) + NATAÇÃO

INIBIDOR do TNF alfa (INFLIXIMAB 5 mg/kg IV 6/6 semanas), usar quando não existe resposta dos antiinflamatórios, como os citados acima. Melhora de forma significativa a progressão da doença no entanto tem como efeitos colaterais a tuberculose, síndrome desmielizante, semelhança ao lúpus, doença hepática, e por isso não é o primeiro medicamento a ser utilizado, devemos considerar o custo beneficio e somente assim prescrever um inibidor do TNF alfa.

Não usar corticosteroide ou metotrexato!! Pode levar a osteoporose, podendo aumentar o risco de morte por trauma de coluna vertebral com mais facilidade do que em pessoas sadias.



Imagens retiradas do google imagens, através das seguintes pesquisas: sacroileite, coluna em bambu, esporão do calcâneo, teste de Patrick, teste de schober e uveite aguda respectivamente!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Citologia: transporte ativo secundário.

Anatomia: Sistema reprodutor masculino e reprodutor Feminino.

Anatomia: músculos da mão.