Citologia: transporte ativo secundário.




Transporte ativo secundário:



Transporte ativo é aquele em que ocorre com gasto de energia(ATP), este pode ser dividido em dois tipos: transporte ativo primário e transporte ativo secundário, o transporte ativo primário está acoplado à quebra de uma ligação covalente da molécula de ATP, que fornece a energia necessária para que o processo ocorra, o transporte ativo secundário também precisa desta energia, no entanto ela é obtida através de um transporte primário que está ocorrendo paralelamente a este.

Quando há o transporte dos íons sódio para fora da célula por meio de transporte primário, forma-se, na maioria das vezes, um gradiente de concentração de sódio muito intenso. Esse gradiente representa um reservatório de energia, já que o excesso de sódio no exterior da célula, tende sempre a se difundir para o interior. Em condições adequadas, essa energia de difusão do sódio pode puxar outras substâncias junto com o sódio, através da membrana. Esse fenômeno recebe o nome de co-transporte; é uma das formas de transporte ativo secundário.

Para que o sódio leve consigo outras substâncias, é necessário um mecanismo de acoplamento. Isso é realizado através de outro tipo de proteína transportadora da membrana celular. Neste caso, o carreador (transportador) funciona como ponto de fixação para o íon sódio e para as substâncias que vão ser co-transportadas. Após ocorrer a fixação dos dois, há alteração conformacional da proteína carreadora e o gradiente de energia do sódio faz com que tanto o íon sódio quanto a substância co-transportada sejam transferidos juntos para o interior da célula.

No processo de co-transporte, os íons tendem a se difundir para o interior da célula, devido a seu intenso gradiente de concentração. No entanto, neste caso, a substância que vai ser transportada está no interior da célula e deve ser transportada para o exterior. Em seguida, o íon sódio fixa-se na proteína carreadora em sua extremidade, projetando-se para fora, na face externa da membrana, enquanto a substância que será contratransportada se fixa à projeção interna da proteína carreadora. Após a fixação dos dois, ocorre nova alteração em sua conformação, com a energia de íon sódio o transferindo para o interior e levando a outra substância a se deslocar para o exterior.


Principais substâncias transportadas:


As principais substâncias que participam deste tipo de transporte é a glicose e  H+ que utilizam  o gradiente de concentração de sódio para entrar (no caso da glicose) ou para sair (no caso do H+) da célula. A glicose entra através de uma proteína cotransportadora (simporte), isto ocorre, por exemplo, nas células epiteliais do intestino. Imaginem se estas células tivessem somente transportadores passivos, e o individuo ingerisse alimento pobre em glicose, sendo que a célula estivesse rica em glicose, a passagem ocorreria através do gradiente de concentração fazendo com que houvesse perda de glicose para o meio, no entanto como ela tem o mecanismo de transporte ativo secundário ela capitara a glicose mesmo com  o gradiente desfavorável isto ocorre pois os íons NA+ no meio intracelular sairão e outros que estão fora da célula entrarão trazendo consigo a glicose.

O  íon H+ é transportado para fora da célula usando mecanismo parecido com o explicado acima, este  é o principal mecanismo usado para controlar o Ph da célula,  ele  é ativado quando há a entrada de NA+, quando isto vai ocorrer o H+ acopla-se a uma proteína que utiliza a energia obtida na entrada do sódio, através do gradiente de concentração, para sair da célula.


Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Anatomia: Sistema reprodutor masculino e reprodutor Feminino.

Anatomia: músculos da mão.