Breve Resumo sobre Depressão

Transtornos de Humor

Os transtornos do humor teem relação íntima com alegria e tristeza. A apresentação destes se dar a partir de situações extremas, no qual o paciente pode apresentar-se com depressão (que seria a tristeza patológica), mania (alegria patológica) ou ainda variar entre essas situações (transtorno bipolar).

Depressão

A depressão apresenta-se através da queda do humor, rebaixamento do sentimento da felicidade. Acontece mais entre as mulheres (2:1) e pode atingir cerca 15-25% da população, isso sem preferência social ou de classes, no entanto apresenta um melhor prognóstico em pessoas com um bom nível socioeconômico, pois essas podem tem um melhor entendimento de sua situação e procurar o tratamento de forma mais rápida e eficaz.

Vale lembrar que a depressão é uma doença seria, se não tratada adequadamente pode levar até mesmo a morte e esse processo muitas vezes pode ocorrer através do suicídio, por isso devemos sempre estarmos atentos. Existem classes que tem um maior risco de suicídio e por isso devemos ter um cuidado redobrado, se for o caso devemos internar e fazer o tratamento em ambiente hospitalar, são essas: homens, idosos, solitários e portadores de doença crônica.

Depressão

“Um paciente com depressão apresenta-se com rebaixamento do humor, redução da energia e diminuição da atividade. Existe alteração da capacidade de experimentar o prazer, perda de interesse, diminuição da capacidade de concentração, associadas em geral à fadiga importante, mesmo após um esforço mínimo. Observam-se em geral problemas do sono e diminuição do apetite. Existe quase sempre uma diminuição da auto-estima e da autoconfiança e frequentemente ideias de culpabilidade ou indignidade, mesmo nas formas leves. O humor depressivo varia pouco de dia para dia ou segundo as circunstancias e pode se acompanhar de sintomas ditos “somáticos”, por exemplo perda de interesse ou prazer, despertar matinal precoce, várias horas antes da hora habitual, agravamento matinal da depressão, lentificação psicomotora importante, agitação, perda de apetite, perda de peso e perda de libido. ” (CID-10)

De acordo com o CID-10 a depressão pode ser classificada em leve (2 ou 3 sintomas, paciente é capaz de desempenhar a maior parte de suas atividades) [F32.0], moderada (≥ 4 sintomas, apresenta grande dificuldade de desempenhar suas atividades rotineiras) [F32.1] e grave sem sintomas psicóticos (apresenta vários sintomas marcantes e angustiantes, tipicamente a perda da auto-estima e ideias de desvalia ou culpa, geralmente apresenta ideias suicidas e sintomas somáticos, podendo apresentar um único sintoma psicótico) [F32.2] ou grave com sintomas psicóticos (apresenta as características de sintomas graves, acompanhado de alucinações, ideias delirantes, lentidão psicomotora ou de estupor, tornando atividades sociais normais impossíveis, existe risco de morte por suicídio, desidratação ou desnutrição. As alucinações podem não corresponder ao caráter dominante do distúrbio afetivo) [F32.3], além disso temos: outros episódios depressivos (depressão atípica e episódios de depressão mascaradas) [F32.8] e episódio depressivo não especificado [F32.9]. De acordo com CID-10 devemos incluir no diagnóstico de depressão quando apresenta-se com episódios isolados de depressão (psicogênica ou reativa) ou ainda com reação depressiva, e devemos excluir quando associados com transtornos de conduta (adaptação e depressivo recorrente). Diagnóstico deve ser clínico (fenomenológico) e baseado nos fenômenos percebidos.

De acordo com a DSM-V as sintomatologias podem começar no período de luto (qualquer tipo de perda, não somente a morte).

Tratamento

Depois do diagnóstico devemos começar o tratamento de forma a melhorar a qualidade de vida e tratar o paciente de forma plena, a primeira escolha são os Inibidores seletivos da receptação de serotonina (ISRS). Esse medicamento age diminuindo a taxa de remoção da serotonina da fenda sináptica, devemos lembrar que a serotonina é um neurotransmissor que age no sistema nervoso central controlando o humor, emoções, sono e apetite e assim a baixa dessa substancia alteram essas atividades. Sempre levar em consideração se o paciente é idoso ou hepatopata.

Inibidores seletivos da receptação da serotonina (ISRS):

Fluoxetina: costumeiramente em dose única diária, a dose efetiva é de 20 mg, mas para diminuir os efeitos colaterais e aumentar a adesão ao tratamento devemos começar o tratamento com 10 mg e depois de 1 ou 2 semanas aumentar para 20 mg, caso o paciente ainda continue com os sintomas, devemos aumentar a dose a cada 4 semanas, aumento de 10 a 20 mg de cada vez, chegando ao máximo de 80 mg/dia.
Citalopram: dose oral única de 20 mg/dia, podendo aumentar para 60 mg/dia de acordo com a evolução da doença. pode ser usado ainda para transtorno do pânico e TOC.
Paroxetina: dose oral única de 20 mg/dia, podendo aumentar para 80 mg/dia, dose máxima.
Sertralina: dose oral de 50 mg/dia, podendo atingir até 200 mg/dia como dose máxima.
Todos esses medicamentos podem trazer riscos a saúde, e tem como efeitos colaterais: tontura, náuseas, cefaleia, insônia, xerostomia, diarreia, tremores, fadiga, agitação, perda do apetite, queda da libido e aumento do peso em alguns casos.

ISRS fisiologia


Tricíclicos (ação preferencialmente noradrenérgica):

Amitriptilina: dose inicial de 10 a 25 mg e máxima de 200 mg/dia
Nortriptilina: dose inicial de 05 a 25 mg e máxima de 100 mg/dia
Clomipramida (+ serotoninérgico): dose inicial 10 a 25 mg e máxima de 200 mg/dia
Efeitos colaterais: anticolinérgicos (boca seca, constipação, alteração da condução cardíaca, demência), hipotensão, sonolência, granho de peso

Inibidores duplos da receptação de serotonina e noradrenalina (DUAS)

Potentes
Venlafaxina: dose inicial de 37,5 mg e dose máxima de  150 mg/dia
Duloxetina
Efeitos colaterais: semelhantes aos ISRS, aumento da dose = aumento da PA

Tetracíclicos:

Bupropion e Nupropiona (ação dopaminérgica- não dá disfunção sexual- p/ tabagismo- baixa limiar convulsivante)
Trazodona (priapismo – bem tolerada- boa p/ idoso): dose inicial de 25 mg e máxima de 100 mg/dia
Mitarzarpina (mais sedativo- abre o apetite)

Inibidores da monoaminoxidase (IMAO)

Aumentam três monoaminas (nora, serotonina e dopamina)
Tranilcipromina: dose inicial de 10 a 20 mg e dose máxima de 80 mg/dia
Monoclobemida: dose inicial de 300 a 400 mg e dose máxima de 400 a 600 mg/dia

Inibidores da MAO
Cuidados:

Interação com tiramina (queijos, frutos do mar) e paciente asmáticos (risco de crise hipertensiva)

Internação se risco de suicídio.

Efeitos colaterais dos IMAOs

Imagens retiradas da WEB, pesquisadas no google imagens por: depressão sintomas, ISRS, inibidores da MAO e IMAO efeitos colaterais.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Citologia: transporte ativo secundário.

Anatomia: Sistema reprodutor masculino e reprodutor Feminino.

Anatomia: músculos da mão.